terça-feira, 25 de setembro de 2012

DENÚNCIA - EDITORA LEITURA


AUTORES PROCESSAM A EDITORA e LIVRARIA LEITURA, CIVIL E CRIMINALMENTE, ASSUNTO GRAVÍSSIMO!

Editora falsifica autorias, republica os livros sem informar, vende sem pagar, copia títulos, omite informações e está sob diversas ações civis e criminais. Pedimos conhecer, pois é gravíssimo!
Somos 6 autores: Nei Loja, Inês Stanisiere, Amir Mattos, Alexandre Rangel, Gabito Nunes, Thiago Fernandes

Todas as ações encontram-se em andamento em Belo Horizonte e as provas estão nos processos e também disponíveis para envio a quem quiser checar as informações.
Texto da Autora Inês Stanisiere: inesstan@hotmail.com/ cel:(19) 8113.3833

Em 2006, por diversas insatisfações com a Editora Leitura, como cancelamento de livros com contratos assinados a um mês de seu lançamento sem justificativas, negativas para minha participação (por conta própria) em eventos de grande porte como Bienais e Feiras Literárias, falta de investimentos, erros gramaticais graves, sem correção até a 5° edição; resolvi dar fim aos meus contratos com a Editora Leitura. Conforme orientações e consultas com diferentes advogados, elaborei uma rescisão contratual e judicialmente enviei para a Editora. Como todos os meus contratos são de PRAZO INDERTERMINADO, a lei ordena que findas as edições em circulação, os contratos enumerados não teriam mais valor legal; sendo assim proibida a tiragem de novas edições. Pois a Editora Leitura, através de seu dono Nissim, resolveu ignorar o meu direito legal, o documento de rescisão contratual enviado judicialmente e continuou publicando novas edições de todos os meus livros (8 títulos), de forma contínua e ilegal até hoje. Já são 6 anos que eu notifiquei judicialmente a Editora Leitura e novas edições vem sendo feitas sucessivamente sem parar.

Há 5 anos que travo uma ação judicial que se arrasta, sem decisão alguma. O processo passou por 3 juízes e todos disseram que não poderiam me dar um mandato impedindo novas edições, pois caso o dano fosse comprovado a Editora teria condições de me ressarcir financeiramente.

Vale lembrar que ainda hoje meu nome está no site da editora como uma autora de destaque, campeã de vendas. As novas tiragens (livros com datas de edição posteriores à minha rescisão e ao início de minha ação judicial) encontram-se sob a guarda da minha advogada.

 Além disso, antes de entrar com a ação, também havia solicitado uma prestação de contas mais adequada, com consulta a livros fiscais e contábeis, direito que a lei reserva a todos os autores, uma vez que raras são as editoras que trabalham com exemplares numerados. Esse direito também me foi negado, e há 3 anos tento via judicial uma perícia contábil, com um perito designado pelo juiz (que recebeu R$6.000,00), que insiste em fazer a perícia por “amostragem” (espécie de sorteio de notas e vendas), em vez de se debruçar sobre todos os livros, notas fiscais de tiragens e vendas, e apurar se o que me foi informado é verdade ou não. Há um ano não recebo nenhum depósito, entretanto os livros continuam sendo vendidos de forma ilegal. A ação está “parada” há 3 anos, nesse vai e vem, entre o perito e os meus advogados, que sequer foram comunicados e participados da perícia (direito do autor também – de acompanhar os trabalhos do perito).

 Já são 5 anos de ação, com a Editora Leitura fazendo novas tiragens e vendendo meus livros, apesar da minha rescisão enviada, com ausência total de prestação de contas, e 4 contratos assinados antes de 2005 de livros que nunca foram publicados. Já gastei mais de R$100 mil para manter esta ação, entre pagamentos de advogados, pagamento de peritos, viagens e hotéis, uma vez que a Editora e o Fórum ficam fora do meu estado (sou do RJ). Atualmente, não consigo mais pagar os meus advogados, que seguem com ação de favor. Enquanto isso, a editora vende meus livros, a justiça não faz nada, enquanto a Editora continua me lesando de todas as formas.

 Num segundo episódio - A Livraria Leitura vendeu durante 4 anos 4 obras evangélicas colocando o meu nome como autora. Apesar dos insistentes pedidos, estes livros continuaram a ser vendidos, me obrigando a entrar com uma segunda ação judicial. Os livros evangélicos NÃO SÃO DE MINHA AUTORIA.

 AUTOR : NEI LOJA- www.neiloja.com.br/ neiloja@gmail.com – cel (21)- 8262 5534

Durante seis anos a Ed. Leitura me enviou, sem nenhuma regularidade, relatórios que a partir de um certo momento foram falsos, sempre dando conta de que, entre livros retirados e os valores de direitos autorais eu nunca teria saldo a receber. Os relatórios foram assinados por anos por um tal Wanderlúcio Vieira, mancomunado com NISSIN YEHEZKEL , com o quem contratei os livros - (os textos abaixo dão conta de que o Nissin fugiu do Brasil)

Sem saber dos fatos, mas que havia um Sebastiao Justo Neto, na direção, inocentemente quase dei novo livro para publicação, o que, ao desistir foi motivo para relatório final e encerramento de tudo e descoberta dos fatos reais, pois uma tal Marina, que ainda é parte do grupo atual me enviou relatórios que mostraram que estava sendo roubado ( meu dinheiro desviado), no valor, sem correções, etc. de quase NOVE MIL REAIS ( anexo) -Após telegramas e ameaças finalmente marcaram para pagar dia 23 de julho .

Não pagaram , não respondem, estão escondidos, fugindo às responsabilidades do contrato que existe.

FUGINDO e ESCONDENDO-SE COVARDEMENTE!!!!

Nota: Até mesmo uma reedição dos livros aconteceu sem aviso algum. É desonestidade pura. O contrato exige aviso e pagamento por reedição. Eu e meu advogado, João Bapstista da Rocha Loja estamos preparando a ação civil e criminal também relembrando ao juiz que existem mais ações, seus números, etc.

 Texto do autor Amir Mattos: contato: amirmattos@ig.com.com (31) 9307-9029

Em fevereiro de 2008, a Editora Leitura publicou um livro de minha autoria: O TIME DO MEU CORAÇÃO (Clube Atlético Mineiro). Neste mesmo ano, em setembro, a editora publicou o livro O TIME DO MEU CORAÇÃO (Corinthians), usando totalmente a minha organização, caracterizando ‘plágio’.

Entrei em contato com o dono da editora, na época, Nissim Yehzekel. Este falou-me através de e-mail que eu não tinha direito nenhum sobre o livro do Corinthians. Tentei um acordo amigável e ele negou.

Imediatamente conversei com meus dois advogados, Rui Pimenta (Criminal) e Eduardo Pimenta (Direitos Autorais).

Com orientação deles fiz um Boletim de Ocorrência na Delegacia de Fraudes aqui em Belo Horizonte. Depois de todos os tramites, o Promotor Público ofereceu denúncia (artigo 184 do Código Penal), contra o Nissim (http://www4.tjmg.jus.br/juridico/sf/proc_complemento.jsp?comrCodigo=24&numero=1&listaProcessos=09545273). Este, antes do seu depoimento, vendeu a editora e voltou para Israel –provavelmente com medo de ser preso.

Na parte civil o processo (http://www4.tjmg.jus.br/juridico/sf/proc_resultado.jsp?listaProcessos=09600264&comrCodigo=24&numero=1) ainda não foi julgado na 1ª instância, pois além da demora da justiça, o advogado da editora já entrou com várias petições e agravo, atrasando o bom desenvolvimento do processo.

 E, recentemente, encontrei com o Sebástian Justo, que havia comprado a editora junto com um sócio. Conversamos, e já chegando a um acordo, repentinamente ele saiu de lá. Entrei em contato com responsáveis da editora, mas fui informado pelo advogado, por telefone, que o acordo não seria feito.

Então enviei dois e-mails para este advogado pedindo uma confirmação por escrito, se este contrato que já estava pronto, seria ou não honrado. Infelizmente não obtive nenhuma resposta...

MORAL DA HISTÓRIA: aguardar a Justiça Brasileira fazer justiça contra pessoas injustas!

 Autor: Alexandre Rangel- (34) 9132-9507rangel@insight.com.br

Cópia de autoria e títulos - Primeiramente quero agradecê-lo pelo e-mail, ele só veio a reforçar o que há muito tempo suspeitava.

Comigo não tem sido diferente, vários foram os atrasos nos pagamentos de direitos autorais e somente agora, no mês de abril, que tomei conhecimento que o Nissin vendera a editora.

O novo comando não tem ajudado muito na transparência e na pontualidade dos direitos autorias.

Descobri por conta própria que uma coleção de meus livros foi retirada de catalogo (Coleção Belas Parábolas) e relançada com o mesmo titulo porem com o nome de outro autor, para minha surpresa o autor era Sebastian Justo, o novo proprietário da editora. Abaixo meu e-mail com a resposta: E-mail datado de 24/04

Prezada Marina, Bom dia.

Ontem um leitor enviou um e-mail questionando sobre os meus livros da coleção "Belas Parábolas".

Ele estava procurando no site da Editora Leitura essa coleção para comprar, porém somente localizou livros com o nome "Coleção Parábolas" do Sebástian Justo Junior ( ????)

Entrei no site para conferir e realmente achei estranho, pois os títulos desta coleção são idênticos aos meus:

Alexandre Rangel
Sebástian Justo Junior
Coleção Belas Parábolas sobre Amor
Coleção Parábolas - Amor
Coleção Belas Parábolas sobre Família
Coleção Parábolas - Família
Coleção Belas Parábolas sobre Felicidade
Coleção Parábolas - Felicidade
Coleção Belas Parábolas sobre Sucesso
Coleção Parábolas - Sucesso
Coleção Belas Parábolas sobre Empreendedorismo
Coleção Parábolas - Trabalho
Coleção Belas Parábolas sobre Dinheiro
Coleção Parábolas - Atitudes

Ainda não respondi para o leitor, até porque não vi se as parábolas dos livros são as mesmas, pois algumas parábolas são de minha autoria.

Por isso resolvi mandar este e-mail para saber da Editora Leitura:

1) Qual a diferença das duas coleções?

2) Por que não foi aproveitado para relançar os meus livros nesse formato, tendo em vista que eles foram os primeiros a serem editados?

3) Com a mudança de proprietários como ficou os contratos assinados anteriormente? (Todos tem validade de 10 anos)

Att.

Alexandre Rangel

Autor: GABITO NUNES:gabito.nunes@gmail.com

Este autor informou também estar em litígio com a editora mas parece preferir não informar totalmente junto com este grupo.

 Autor: Thiago Fernandes

Olá, Nei.

Muito obrigado pela mensagem, pois estava precisando disso para tomar uma decisão, a de cobrar meus direitos autorais que a editora não me paga desde janeiro desse ano.

Você tem um telefone de contato, pois estou verificando com outro autor e o mesmo tmabém está nessa situação. O Sebastian já não faz parte da editora, estive lá para saber o que está acontecendo e percebi que muitos já não fazem mais parte da Leitura.

Estou pensando em procurar um advogado, pois tenho uma dívida de mais de 13 mil para receber e já me informaram que não possuem previsão de pagamento e nem poderão me pagar o valor total.

Obrigado pelo seu relato ( Refere-se ao relato que fiz do meu caso para todos os autores que consegui localizar)

Abraços!



 

Um comentário:

rosa disse...

Gente amiga. Alguns peritos ainda não sabem mas, hoje em dia, a melhor maneira de fiscalizar as edições é o DIF Papel Imune, o documento que as editoras são obrigadas a enviar ao ministério da fazenda para obter a isenção de impostos para as edições. Esse documento é feito para cada edição, traz o nome da obra e a tiragem. Por aí,não tem erro. Agora, essa história de exemplar numerado é bobagem. Não existe nada mais fácil de falsificar. Espero ter ajudado.